• Programa de Estágio

Conselho Estadual de Cultura

05/08/2017 09:00

Festa do Divino Espírito Santo de Bom Jesus da Lapa será registrada como bem imaterial da Bahia

A Câmara de Patrimônio do Conselho Estadual de Cultura da Bahia aprovou na tarde desta sexta-feira,4, parecer em favor do Registro Especial da Festa do Divino Espírito Santo como bem cultural da Bahia a ser salvaguardado pelo Estado.

Convocada extraordinariamente pelo secretário de Cultura da Bahia, Jorge Portugal, atendendo solicitação do governador da Bahia, Rui Costa, a plenária do Conselho Estadual de Cultura (CEC) também apreciou pela aprovação do texto das conselheiras Ana Vaneska e Arany Santana que defenderam a concessão do Registro para a festividade que já contava com proteção provisória do Instituto do Patrimônio Artístico Cultural (IPAC). Agora o parecer aprovado segue para a Secretaria de Cultura e em seguida para a Governadoria.

As conselheiras consideraram entre outros pontos para a proteção da celebração de viés religioso:“a referência cultural no Estado, a continuidade histórica [trata-se de festejo centenário, com mais de 100 anos], a relevância para a preservação da memória de um povo” e o “valor devocional que a folia tem na construção do imaginário local”.

A FESTA
De origem portuguesa, a Festa do Divino Espírito Santo acontece cinquenta dias após a Páscoa, exaltando a terceira pessoa da Divina Trindade com manifestações folclóricas e banquetes coletivos de doações religiosas. A Festa também é comemorada em outras regiões do país como nos estados de Goiás, Santa Catarina e Minas Gerais. 

Constituída de missas cantadas, procissões, apresentação de autos religiosos e cavalhadas, entre outros, a folia de Bom Jesus da Lapa é uma das celebrações culturais de viés católico mais comemoradas da Bahia, atraindo inúmeros fiéis a cidade do território de identidade do Velho Chico. 

RECOMENDAÇÕES
No parecer aprovado é recomendado um “mapeamento” e diagnóstico” das Festas do Divino Espírito Santo que acontecem em diversos municípios da Bahia a exemplo de Andaraí, Poções e Brotas de Macaúbas, entre outras. Segundo o parecer, o mapeamento “deverá dar subsídios aos dirigentes e agentes culturais das localidades para que sejam traçadas as políticas culturais necessárias de salvaguarda, fomento e apoio para a sustentação” dessa manifestação artístico cultural em cada localidade.

Além disso, o parecer recomenda o tombamento com patrimônio material do Morro da Lapa, sua paisagem natural e seu entorno. O Morro esconde diversas grutas, entre elas a do Santuário da Gruta, local privilegiado de identidade da festa do Divino em Bom Jesus, além de ser uma das principais atrações da cidade.

Ao fim da sessão extraordinária, o secretário de Cultura, Jorge Portugal, agradeceu ao esforço dos conselheiros do CEC para apreciar o registro numa chamado especial e por atender antes de tudo aos anseios da população e da comunidade quanto ao tema. “O governador não se sentia autorizado a anunciar que este registro vai sair, se essa já não fosse a posição chancelada e aprovada por este Conselho”, frisou Portugal.

Para Emílio Tapioca, presidente do CEC, a apreciação extraordinária não pode se tonar habitual e, por outro lado, abre espaço para que haja mais celeridade na apreciação dos processos que se encontram no IPAC e precisam ser remetidos ao CEC para deliberação.

NOTA DE PESAR
Na abertura da reunião foi prestada uma nota de pesar pelo falecimento do cantor e compositor carioca Luiz Melodia. Luiz Melodia tinha mais de 40 naos de carreira musical e foi interpretado por diversos e consagrados interpretes da música brasileira, a exemplo de Maria Bethânia e Gal Costa, esta última que gravou seu primeiro sucesso "Pérola Negra", em 1971. O músico faleceu ainda na madrugada desta sexta devido a complicações do enfrentamento de um miolema múltiplo, um raro tipo de câncer no sangue.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.