Conselho Estadual de Cultura

30/11/2017 18:30

CEC aprova Registro Especial do Zambiapunga e Moção de Aplausos ao Instituto Roque Araújo

Reunião Plenária do CEC em 29 de novembro de 2017

Após plenária matutina realizada na Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA) nesta quarta-feira, 29, os conselheiros estaduais de cultura participaram da plenária vespertina na sede no Conselho Estadual de Cultura. Além de aprovações importantes, o encontro formalizou também algumas demandas da sociedade civil que foram apresentadas ao pleno do CEC.

 Na plenária foi aprovado o Registro Especial das festas dos Caretas e Zambiapungas do Baixo Sul. O parecer técnico submetido a votação foi elaborado pelo conselheiro e membro da Câmara de Patrimônio, Mateus Torres. O presidente do CEC, Emílio Tapioca, abriu a votação que resultou na aprovação unânime do parecer.

Chico Nascimento, representante do território de identidade cultural do Baixo Sul, celebrou o resultado e lembrou a importância histórica e artística desta manifestação cultural baiana que perdura há séculos. "Sem dúvida, esta é uma vitória da cultura tradicional nos municípios de Taperoá, Valença, Cairu e Nilo Peçanha", comemorou Nascimento.

Com a deliberação, anunciada pela presidente da Câmara de Patrimônio do CEC, Ana Vaneska de Almeida, o Conselho encaminhará um ofício à Secretaria de Cultura da Bahia (Secult) requerendo celeridade no processo de Registro Especial do Zambiapunga e sua inscrição no Livro de Registro Especial das Expressões Lúdicas e Artísticas.

Na plenária vespertina foi aprovada também uma Moção de Aplausos ao Instituto Roque Araújo (IRA) e seu fundador, o cineasta Roque Araújo. A moção elaborada pelo presidente Emílio Tapioca foi lida coletivamente, e logo em seguida aprovada.

Roque Araújo foi homenageado pelo CECPreservando acervo de máquinas, equipamentos e registros que constitui valiosa memória do cinema nacional, o IRA é um privilegiado espaço com estas características no país sendo visitado por milhares de estudantes, pesquisadores e amantes do cinema desde sua criação em 2014. O acervo do Instituto é composto por mais de 1000 equipamentos reunidos, entre eles peças raras e preciosidades cinematográficas que em sua maior parte ainda funcionam.

Presente na sessão plenária, o homenageado destacou a importância do museu na Bahia. "Andando por algumas cidades baianas descobri que grande parte da população não conhece o trabalho de Glauber Rocha. O IRA é o único museu de Cinema e Audiovisual do Brasil. Em outubro, quando aconteceu a Feira Literária de Cachoeira (FLICA 2017), o museu recebeu mais de 5.400 pessoas em um só mês", relatou Araújo enquanto recebia a homenagem do CEC. (Confira aqui, em breve, a moção)

FALA SOCIEDADE

A presença e os pedidos de apoio ao CEC dos representantes de coletivos da sociedade civil constituíram também parte da sessão plenária destinada ao projeto Fala Sociedade.

Os poetas Douglas de Almeida, Marcos Peralta e Edilson Dias, representantes do Bloco Litero-Carnavalesco O Boca de Brasa, buscaram os conselheiros para elucidar algumas dúvidas sobre os critérios de seleção no Edital do Carnaval da Bahia, principalmente, sobre a ocupação artística do Pelourinho na festa.

Os conselheiros encaminharão, através de ofício, os questionamentos levantados, solicitando pronunciamento dos envolvidos no processo.

Já Orlando Valle, representando o Instituto Cidade do Trabalho, solicitou apoio do CEC na preservação da memória e do patrimônio material e imaterial da Vila Operária Luís Tarquínio, no bairro da Boa Viagem, localizado na Península Itapagipana de Salvador. "Estamos em processo de produção de dossiê de tombamento a ser apresentado ao IPAC, gostaria de relatar ao Conselho nosso interesse pelo Tombamento da Vila Operária e pedir apoio da casa na nossa luta pelo reconhecimento da importância histórica do local", explicou Valle.

Iniciativa do empresário Luís Tarquínio, a Vila Operária foi construída para os empregados da fábrica de tecidos Companhia Empório Industrial do Norte. Com oito avenidas, além de 258 casas os trabalhadores ainda usufruíam de belos jardins, escola, creche para seus filhos, salão de esportes e armazém.

Ao fim da sessão, a mesa diretora do CEC lançou a data para próxima plenária, o dia 14 de dezembro, quando também será apresentado o planejamento do Conselho Estadual de Cultura para o ano de 2018.

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.