• Oi sumido, tomar segunda dose
  • Use Máscara
  • novembro negro

Conselho Estadual de Cultura

30/06/2021 15:00

Em sessão especial SecultBA e Conselho de Cultura empossam nova presidência

A SecultBA e o Conselho Estadual de Cultura da Bahia celebraram a posse de Sílvio Portugal e Adriano Pereira como nova mesa diretora do órgão que assume o biênio 2021-2023. A cerimônia aconteceu de forma virtual na realização da 9ª Sessão Plenária e contou com a presença da Secretária de Cultura Arany Santana e demais membros do conselho, a sessão foi transmitida ao vivo através do canal do CEC no Youtube.



 

Iniciada pela então presidente Pan Batista em seu término de mandato, que em seu pronunciamento fez a leitura de uma carta de despedida narrando parte da sua trajetória pessoal e cultural, com entusiasmo Pan agradeceu à Secretária Arany Santana pelo apoio constante, bem como a sua alegria de sempre incentivar outras mulheres para que também possam alcançar cargos de destaque na sociedade: "O Conselho é uma escola, saio com o coração feliz, por permitir que muitas vozes fossem ouvidas, por garantir e permitir que muitos através dos conselheiros acessassem este órgão, e muitas vezes passei a admirar, conviver e conhecer sentimentos culturais e pessoas, os nossos fazedores e fazedoras de cultura". Afirmou Pan.



Também em despedida da gestão da vice-presidência, o Conselheiro Gilmar Faro resumiu sua trajetória no período em que esteve gerenciando o Conselho: "Me sinto honrado mesmo nesta fase final de estar ao lado de Pan Batista e compartilhar essa gestão, fui escolhido para dar o suporte necessário, de poder dialogar e muitas vezes conduzir os trabalhos". Na sequência Faro iniciou os trabalhos do ato de posse saudando inicialmente aos conselheiros titulares presentes e suplentes convidados para esta sessão.


Antes da posse como presidente, o conselheiro Sílvio Portugal em seu pronunciamento narrou em breve resumo sua trajetória cultural e alguns dos seus passos enquanto articulador de cultura, perito e parecerista cultural até a sua chegada como conselheiro de cultura.

 

Também antes da oficialização de posse como vice-presidente, o conselheiro Adriano Pereira destacou que uma das propostas da gestão é manter o CEC sempre como um espaço de escuta dos anseios da sociedade civil cultural. Na oportunidade, o conselheiro saudou a memória do comunicador Chacrinha, como também a celebração do dia do "Bumba-meu-boi", uma das tradições populares de intensa festividade no interior do estado.



Seguindo a programação, a Secretária Arany Santana deu início a oficialização do ato de posse agradecendo ao término do mandato de Pan Batista e de Gilmar Faro, em seu discurso a Secretária trouxe uma reflexão sobre o CEC ser uma parte importante do gabinete da Secult, a Secretária também narrou parte de sua trajetória cultural.

 

"O Conselho de Cultura é a nossa casa, é aqui que são definidas as diretrizes para as políticas culturais que o estado desenvolve, espelhar a complexidade do campo cultural baiano, suas diversidades e necessidades, conciliar tudo no campo cultural não é fácil, se hoje estou Secretária de Cultura é porque estive antes por muitos anos na linha de frente da defesa do campo cultural, do teatro, do cinema, da cultura baiana, e de combate ao racismo, machismo, e todas as formas de atraso, e quando sentamos nesta cadeira como secretária de estado, nos muda apenas a forma de lutar, mas não a luta, muda a forma de pautar, mas não a pauta, o que nos faz trabalhar dia e noite, por uma política cultural duradoura, portanto Sílvio e Adriano, sugiro que priorizem pautas, lutas e convicções coletivas, nosso desafio" finaliza Arany.




O ato de posse foi concluído com a assinatura do livro de ouro do CEC e a saudação presencial da Secretária. Sílvio Portugal agora como presidente destacou o enfrentamento ao cenário crítico que a cultura passa diante a pandemia, bem como a importância do andamento da Lei Aldir Blanc, da Lei Paulo Gustavo e da recente regulamentação do Sistema Nacional de Cultura. "Um dos papeis do CEC é de ser mediador da sociedade civil com o poder público e de promover mecanismos de escuta para exercer nosso papel de conselheiro e conselheira com muito mais propriedade, cabe a nós ouvir sempre as bases, os segmentos, os territórios e trazer as discussões para as plenárias, diálogos sem interrupção, vamos precisar do apoio de todos e todas para fazer um CEC ao qual tanto desejamos" Finaliza Sílvio. Ao final da posse todos os conselheiros puderam saudar ao novo presidente e vice-presidente.

 

Confira como foi a 9ª Sessão de posse da Presidência: https://youtu.be/FhE4ZyvS5h8


Conselho Estadual de Cultura da Bahia - Órgão colegiado do Sistema Estadual de Cultura, o (CEC) tem entre suas atribuições a missão de apreciar e contribuir com a elaboração e o cumprimento do Plano Estadual de Cultura. Além disso, deve propor e estimular a discussão sobre temas relevantes para a cultura na Bahia, assim como promover a participação da sociedade civil na definição e fiscalização das políticas, programas, projetos e ações culturais. Compete ao CEC, entre outras atribuições, deliberar tecnicamente sobre os processos de tombamento, registro e salvaguarda de bens materiais e imateriais do estado, mediante dossiês previamente construídos pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (IPAC). Quando aprovados no Conselho de Cultura, os processos são direcionados para a governadoria e posteriormente encaminhados para aprovação do governador.

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.