Conselho Estadual de Cultura

15/06/2018 14:20

Conselho aprova Moção de Repúdio pelo afastamento de Nide Nobre de Coordenadoria da SEC

Em sessão plenária na última quinta-feira, 7, os conselheiros estaduais de Cultura aprovaram por unanimidade uma Moção de Repúdio à Secretaria de Educação da Bahia (SEC) pelo afastamento da conselheira estadual de cultura Nide Nobre da Coordenação de Projetos Intersetoriais da pasta, assim como da exoneração de Érida Beatriz que atuava na mesma coordenadoria e foi conselheira suplente de Nide no Conselho Estadual de Cultura. A moção foi proposta pelo presidente do CEC, Emílio Tapioca.

O texto da moção, salienta a trajetória e o trabalho desenvolvido pela conselheira Nide Nobre, além de reconhecer os méritos de Érida Beatriz.
 
“A professora, socióloga e conselheira Estadual de Cultura, que também compõe a Câmara Técnica de Patrimônio, é reconhecida em todos os territórios de identidade da Bahia, pelo trabalho que vem desenvolvendo, desde 2007, à frente da Coordenação de Projetos Intersetoriais da SEC, bem como no Conselho Estadual de Cultura, ao desempenhar suas funções de forma ética e responsável, contribuindo incansavelmente para o fortalecimento das artes e da cultura na/da Bahia. (…) Érida Beatriz, historiadora e técnica em gestão de Projetos Culturais, integrou essa Coordenação, no processo de estruturação e consolidação desses projetos, desde 2012, e exercia, com louvor, a função de assessora técnica, até a atualidade, assumindo, ainda, a suplência no Conselho de Cultura em 2014”, diz o documento.

Ressaltando e enumerando diversos projetos pioneiros que foram desenvolvidos quando Nide esteve a frente da Coordenação o texto afirma que eles tinham um “caráter educativo, artístico e cultural, concebidos para abranger toda a rede estadual de ensino”, além de que “sedimentaram inovações nas práticas educativas, reconduzindo para novas formas de aprendizagens, para promover a autonomia e o protagonismo estudantil, na produção dos distintos saberes na formação de uma nova mentalidade cultural em nosso estado”, afirma.

Na moção, que pode ser conferida aqui, o Conselho Estadual de Cultura declara que tem “a expectativa de que essas profissionais sejam devidamente respeitadas pelo desempenho comprovado nessas políticas” e recomendamos que “as experiências artísticas e culturais continuem sendo realizadas com sucesso, possibilitando a inserção e a valorização da arte e da cultura na educação baiana”, declara o texto.

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.